• Segurança Pública e Direitos Humanos

    Veja o que Freixo defende para Segurança Pública e Direitos Humanos

  • O Estado tem falhado na área da Segurança Pública, mas a solução não é armar os cidadãos repassando a eles, que não são preparados para tal, a responsabilidade de enfrentar criminosos. O incentivo à letalidade policial e ao encarceramento em massa também não nos ajudarão a reduzir a violência. A polícia brasileira mata e morre muito, numa guerra irracional que não produz qualquer avanço. E a ampliação do encarceramento só vai piorar o caos prisional, levando ao fortalecimento das facções criminosas. Defendemos políticas de segurança responsáveis, com a ampliação dos investimentos em inteligência, que hoje não passa de 6% do orçamento, e a integração entre as policiais estaduais e federais. O crime organizado precisa ser enfrentado a partir de seus vínculos com os poderes políticos e econômicos. Nas CPIs das Milícias e do Tráfico de Armas e Munições apresentamos propostas para realizar esse trabalho. Por fim, é urgente melhorarmos as condições de trabalho e valorizarmos a carreira policial. Não queremos uma polícia que mate e morra. Queremos que os trabalhadores da segurança respeitem os direitos de todos os cidadãos e tenham os seus direitos respeitados.
     

  • Inscreva-se para receber notícias da Equipe Marcelo Freixo

    All Posts
    ×